8 frases de Albert Einstein que vão muito além da física

Albert Einstein dispensa apresentações. Além de suas descobertas e teorias, o ganhador do Nobel de Física deixou como contribuição frases que inspiram e lançam um novo olhar sobre a forma como vemos nossos talentos, ambições e conquistas.

Vamos a elas:

1. “Certamente minha carreira não foi determinada pela minha própria vontade, mas por inúmeros fatores sobre os quais não tenho nenhum controle.”

2. “Quando aceitamos nossos limites, conseguimos ir além deles.”

3. “A lógica vai levar você de A a B. A imaginação vai levar você para qualquer lugar.”

4. “Não conseguimos resolver um problema com base no mesmo raciocínio usado para criá-lo.”

5. “Uma pessoa que nunca cometeu um erro nunca experimentou nada novo.”

6. “A imaginação é mais importante do que o conhecimento. O conhecimento é limitado. A imaginação circunda o mundo.”

7. “Não tenho nenhum talento especial. Apenas sou apaixonadamente curioso.”

8. “Grandes mentes sempre sofreram a violenta oposição dos medíocres. Esses últimos não conseguem entender quando uma pessoa não se submete inconscientemente a preconceitos hereditários.”

Publicação baseada em matéria do Portal Exame.com.

5 razões para investir em tecnologia no controle de processos jurídicos

Cadernos, agendas, planilhas… No dia a dia de trabalho, buscar informações em arquivos, pesquisar os clientes em pastas e consultar os prazos em agendas interfere muito na produtividade. O desafio de controlar tantos aspectos aumenta ainda mais quando as tarefas são compartilhadas entre equipes.

Rotinas complexas são verdadeiras inimigas do bom rendimento e do funcionamento adequado de qualquer negócio. A boa notícia é que a tecnologia pode ser sua aliada para integrar todos os processos, atualizações e demandas do escritório ou departamento jurídico. Acompanhe:

1. Todas as informações em um só lugar, à sua disposição

Utilizar um software padroniza a inserção de informações e facilita o acesso às movimentações. O que antes era dividido entre aplicativos, pastas e papeis, fica concentrado no mesmo sistema. Pelo campo de busca, o usuário localiza rapidamente o que deseja. Com o Advoc, sistema da Exotics Informática para gerenciamento de processos, as atualizações podem ser visualizadas por todos os membros da equipe com acesso ao programa.

2. Software jurídico = tecnologia especializada

Sistemas genéricos, apesar da tecnologia empregada e dos recursos oferecidos, não atendem plenamente as necessidades dos advogados. Um programa específico representa a integração de todas as demandas. Caso do Advoc, ferramenta pensada desde a sua concepção para o gerenciamento total de escritórios e departamentos jurídicos.

3. São fáceis de usar

Sistemas de computação às vezes assustam e há a possibilidade de resistência na implantação de um método novo. Mas, como um sistema pensado para facilitar a rotina, sua interface é amigável e fácil de usar. O programa armazena e controla, o usuário advoga. Além disso, ao adquirir o Advoc, por exemplo, o escritório recebe um manual de uso da ferramenta e conta com a possibilidade de treinamento presencial ou online. Com poucos dias de uso, o software estará totalmente inserido na rotina de trabalho.

4. Adaptado à necessidade de seu escritório

O software é flexível. O usuário determina os campos principais, define os acessos, personaliza a geração de documentos e relatórios. Em resumo, softwares como o Advoc preparam o seu escritório para crescer ainda mais.

5. Segurança no armazenamento das informações

A segurança é contemplada em diversos aspectos. No sistema, o usuário cria diferentes níveis de acesso às informações cadastradas. Também pode determinar quem está autorizado a visualizar, alterar ou atualizar os dados. O Advoc oferece, além dos filtros de acesso, a realização rápida e fácil de cópias de segurança. Dessa forma, os dados estarão salvos caso ocorra qualquer problema ou falha no servidor onde está instalado o programa.

Para mais informações sobre o sistema de controle e gerenciamento de processos da Exotics, entre em contato pelo telefone (51) 3028.4520 ou pelo e-mail info@exotics.com.br.

Conheça as vantagens do recurso Controle de Débitos

Presente no Memorial 8 – sistema que também executa cálculos de atualização monetária, liquidação de sentenças e revisão de financiamentos – o recurso Controle de Débitos gerencia parcelas a receber ou a pagar.

De acordo com os termos acordados entre as partes, o programa atualiza o débito a partir da data em que a dívida foi contraída até seu vencimento, apurando o valor a pagar. Em caso de atraso, aplica os juros de mora e multa correspondentes.

Caso o valor pago seja inferior ao montante da dívida na ocasião do pagamento, o Memorial também apura a diferença. A critério do usuário, essa diferença pode ser desconsiderada ou constituir um novo valor a pagar. Se o pagamento for parcelado, cada parcela será atualizada até sua respectiva data de vencimento.

À medida que as parcelas forem quitadas, o Memorial apura o saldo atualizado da dívida até sua efetiva liquidação.

Ficou com alguma dúvida ou quer saber mais sobre o sistema?

Fale com a gente: info@exotics.com.br e (51) 3028.4520

Tem foliões por aqui?

Devido ao feriado nacional, a Exotics Informática não terá expediente nos dias 27 e 28 de fevereiro e 1º de março. O atendimento retorna em 2 de março, quinta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 17h30min.

Desejamos um feriado de descanso para quem deseja relaxar, e muita alegria e diversão para quem vai pular Carnaval. Independente da sua escolha, que os dias fiquem marcados pela alegria da festa ou da calmaria, com prudência no trânsito e respeito ao coletivo.

Bom Carnaval!

Mantenha a segurança dos seus dados no Advoc 6

Realizar backups com regularidade é essencial para garantir a segurança das informações cadastradas no Advoc – sistema para controle e gerenciamento de processos jurídicos – caso ocorra algum problema com a máquina na qual elas estão gravados.

O Advoc conta com um recurso próprio para a geração de cópias de segurança, e seguir o procedimento é simples e rápido. Acompanhe o passo a passo e finalize a semana com o backup dos seus dados:

1. Entre no Advoc e clique em Processo > Preferências.

2. Na lista de opções, selecione Opções Avançadas > Banco de Dados.

3. Clique em Fazer Cópia de Segurança e indique o local em que ela será gravada. É recomendável armazenar mais de uma cópia, feitas em diferentes dias (por exemplo, uma para cada dia da semana).

4. Armazene suas cópias em lugar seguro.

* Essa é a maneira correta e segura de fazer backups do Advoc. Utilizar outros métodos, como a simples cópia da pasta onde o programa está instalado, não garante a integridade das informações cadastradas e pode acarretar na perda total dos dados.

Currículo: especialistas listam palavras que devem ser cortadas

Crédito da imagem: Internet

Substituir palavras muito utilizadas, acrescentar fatos e dados concretos e buscar detalhes da carreira são alguns dos pontos positivos que os contratantes levam em consideração na hora de avaliar um currículo.

Confira o resumo de uma lista organizada por Exame.com com o auxílio de especialistas  que sugere palavras e expressões a serem retiradas ou substituídas.

1. Liderança

De acordo com o LinkedIn, “liderança” aparece como a palavra mais utilizada nos perfis dos usuários dessa plataforma. Mesmo sendo popular, a simples indicação dessa competência não acrescenta nada para o currículo. O gerente de vendas da empresa de recrutamentos Michael Page, João Paulo Klüppel, recomenda contar experiências vividas em outros ambientes de trabalho que comprovem essa habilidade.

2. Pontual

Toda empresa espera que seu colaborador seja pontual. A classificação, portanto, não vai ser vista como uma qualidade.

3. Bom comunicador

Para a especialista em RH do site Vagas.com, Patrícia Sampaio, os adjetivos são dispensáveis no currículo e qualquer característica de comportamento vai ser observada posteriormente em uma entrevista presencial.

4. “Altamente qualificado”

Na mesma linha do item 3, todas as características são competências a serem avaliadas ao vivo, durante a entrevista.

5. Ambicioso

A orientação é evitar dar destaque a interesses pessoais e características de personalidade no currículo.

6. Trabalho em equipe

A expressão “trabalho em equipe” também  deve ser substituída pela descrição de resultados atingidos em grupo. O currículo requer exemplos práticos.

7. Inovador

Outro adjetivo desnecessário. É a riqueza de detalhes concretos que faz a diferença na hora de escolher o melhor perfil.

8. Honesto

Honestidade e ética são valores enraizados no mercado de trabalho e essas qualidades não vão diferenciar os profissionais.

9. “Meu objetivo é…”

De novo: evite informações que não sejam pertinentes, expressões que não trazem informação alguma e o excesso de criatividade.

10. Siglas

O emprego de siglas e nomenclaturas próprias é muito comum em diversas áreas. O profissional deve lembrar, no entanto, que o currículo pode ser lido por alguém não familiarizado com o vocabulário e sempre colocar as informações por extenso antes de utilizar as siglas.

11. Responsável por

Tendo a objetividade e a experiência como regra, opte por colocar direto a função exercida.

12. Eu, meu, nosso

O uso de pronomes pessoais é dispensável já que, num currículo, os dados falam de um mesmo profissional.

13. Excesso de palavras

Um bom currículo traz as experiências de forma sucinta e objetiva e destaca os pontos altos das últimas passagens do profissional. No caso dos mais jovens, os recrutadores consideram também o potencial que carregam. Vale incluir algumas experiências da faculdade, algum curso e/ou trabalho voluntário relevantes para a vaga, sempre de forma sucinta.

Clique aqui para acessar a publicação original.

OAB/RS debate o pacto federativo no encerramento do Fórum Social Mundial

Com o apoio da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (FAMURS) e da Confederação Nacional de Municípios (CNM), a OAB/RS fará o encerramento do Fórum Social Mundial nesta sexta-feira, 27 de janeiro, às 9h, no Plenarinho da Assembleia Legislativa do Estado.

Com o tema “Pacto Federativo: uma análise a partir das políticas públicas de segurança e combate à corrupção”, palestrantes do Brasil, do Uruguai e do Chile apresentarão diferentes perspectivas sobre o assunto.

O presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, falará sobre os desafios do combate à corrupção e garantia da segurança na federação brasileira. O presidente da OAB/RS, Ricardo Breier, estará no painel sobre o Compliance no setor público e a qualificação da despesa pública na área de segurança pública.

Também participam dos debates o presidente da Confederação Nacional de Municípios, Paulo Ziulkoski, o presidente da Federação dos Municípios do RS, prefeito Luciano Pinto, e os convidados Elena Garrido, Gustavo Paim, Raul Cervini (Uruguai) e Mário Rosales (Chile). O evento é gratuito e não é necessário fazer inscrição.

Um destino sustentável para o nosso lixo

Você já deve ter observado: é impressionante a quantidade de lixo que geramos no nosso dia a dia. Com a intenção de reduzir um pouco o impacto negativo para o meio ambiente, agora somos clientes da Re-ciclo, uma empresa de compostagem urbana que realiza a coleta dos resíduos orgânicos de casas, condomínios e organizações, e transforma esse material em adubo rico em nutrientes para jardinagem e hortas. 

Uma vez por semana, o pessoal da Re-ciclo vai recolher os resíduos aqui na Exotics Informática. Para que todo o material depositado no balde de coleta – entregue pela empresa e apropriado para armazenar resíduos sem provocar cheiro ou contaminação – possa ser convertido em adubo, na semana passada aprendemos com a Natália Pietzsch, sócia-fundadora da Re-ciclo, a maneira correta de fazer a separação.

A empresa entregou também sacolas 100% compostáveis, produzidas com amido de mandioca, que irão forrar os baldes e facilitar o transporte de bicicleta até o Espaço Floresta, local onde é realizado todo o trabalho.

Se você está em dúvida sobre adotar na sua casa ou empresa essa forma de cuidar do lixo – e do planeta! -, saiba que a Re-ciclo oferece, ainda, adubo ou temperos como recompensa: uma vez por mês, um presente surpresa é entregue ao cliente na troca pelo material que acumulou.

Saiba mais:

Diariamente, Porto Alegre gera 1.200 toneladas de resíduos sólidos. Os resíduos orgânicos representam cerca de 50% deles e, atualmente, são levados a um aterro sanitário, distante 130km da Capital. Isso causa ineficiência nos gastos públicos e um impacto ambiental negativo para a região.

Fundada em 2016, a Re-ciclo tem como principal objetivo dar um destino sustentável e adequado aos resíduos que antes iam parar nos aterros. Por meio da compostagem dos resíduos orgânicos recolhidos de bicicleta na casa dos clientes, o material é transformado em adubo, um composto rico em nutrientes que pode ser usado em hortas e jardins.

Reciclo2
Reciclo4

60 erros de português muito comuns no mundo do trabalho

Falar e escrever corretamente pode ser decisivo no universo corporativo, mas, de acordo com Rosângela Cremaschi, consultora empresarial na RC7 e professora de comunicação na FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado), a insuficiência da educação de base no Brasil faz com que muita gente ingresse no mercado de trabalho com fortes dúvidas sobre o próprio idioma.O Portal Exame.com contou com a ajuda de Rosângela e de Reinaldo Passadori, presidente do Instituto Passadori e especialista em comunicação verbal, para reunir 60 erros de português frequentes no mundo do trabalho. Confira a seguir:

1. “São suficientes” / “É suficiente”

Erro: Cento e cinquenta dólares são suficientes para as diárias no exterior.
Forma correta: 
Cento e cinquenta dólares é suficiente para as diárias no exterior.
Explicação: 
O verbo ser é invariável quando indicar quantidade, peso, medida ou preço.

2. “Em vez de” / “Ao invés de”

Erro: Ao invés de mandar um e-mail, resolvi telefonar.
Forma correta: 
Em vez de mandar um e-mail, resolvi telefonar.
Explicação:
 “Em vez de” é usado como substituição, enquanto a expressão “ao invés de” é usada como oposição.

3. “A nível de” / “Em nível de”

Erro: A nível de proposta, o assunto deve ser mais discutido”
Forma correta: 
Em relação à proposta, o assunto deve ser mais discutido.
Explicação: 
A expressão “a nível de” só está correta quando significar “à mesma altura”. “Hoje, Santos acordou ao nível do mar”. Também podemos usar a expressão “em nível” sempre que houver “níveis”: “Esse problema só pode ser resolvido em nível de diretoria”.

4. “A meu ver” / “Ao meu ver”

Erro: “Ao meu ver, o evento foi um sucesso”.
Forma correta: 
“ A meu ver, o evento foi um sucesso”.
Explicação: Não se deve usar artigo nessas expressões, em que o substantivo ver significa “opinião, juízo”: a meu ver, a seu ver, a nosso ver. Também não se usa artigo em estar a par: Estavam todos a par (e não ao par) dos últimos acontecimentos.

5. “Maiores informações” / “Mais informações”

Erro: Para maiores informações, entre em contato com a Central de Atendimento.
Forma correta: 
Para mais informações, entre em contato com a Central de Atendimento.
Explicação: 
“Maior” é comparativo, portanto não se aplica a esse caso.

6. “A” / “há”

Erro: Trabalho nesta empresa a dez anos.
Forma correta: 
Trabalho nesta empresa há dez anos.
Explicação: 
Para indicar tempo passado, usa-se “há”. O “a”, como expressão de tempo, é usado para indicar futuro ou distância. (A empresa fica a dez minutos do centro.)

7. “Acerca de” / “a cerca de”

Erro: Na reunião, discutiu-se a cerca de corte de gastos.
Forma correta:
 Na reunião, discutiu-se acerca de corte de gastos.
Explicação:
 “Acerca de” significa a respeito de. A cerca de indica aproximação. (Ex: A empresa fica a cerca de 5 km daqui.)

8. “Meio-dia e meio” / “Meio-dia e meia”

Erro: A reunião começará ao meio-dia e meio.
Forma correta:
 A reunião começará ao meio-dia e meia.
Explicação: 
Devemos utilizar a expressão meio-dia e meia sempre que quisermos referir a décima segunda hora do dia mais trinta minutos, ou seja, o meio-dia mais meia hora.

9. “Supérfluo” / “supérfulo”

Erro: Os gastos naquele setor foram supérfulos.
Forma correta: 
Os gastos naquele setor foram supérfluos.
Explicação:
 Supérfluo significa demais, desnecessário. Embora seja uma palavra que muitas vezes ouvimos, “supérfulo” não existe.

10. “Em mãos” / “em mão”

Erro: O motorista entregou a carta em mãos.
Forma correta: 
O motorista entregou a carta em mão.
Explicação:
 A segunda opção sempre foi considerada a correta, porém, atualmente, as duas formas são aceitas por alguns dicionários.

11. “Segmento” / “Seguimento”

Erro: O seguimento de mercado mostrou-se propício a investimentos.
Forma correta: 
O segmento de mercado mostrou-se propício a investimentos.
Explicação:
 Segmento é sinônimo de seção, parte. Seguimento é o ato de seguir. (Ex: O projeto de implantação da ciclovia não teve seguimento.)

12. “Por hora” / “Por ora”

Erro: O diretor afirmou que, por hora, não poderia responder.
Forma correta: 
O diretor afirmou que, por ora, não poderia responder.
Explicação: 
A expressão “por hora” refere-se a tempo. “Por ora” expressa o sentido de “por enquanto”.

13. “Meu óculos” / “meus óculos”

Erro: Ele havia esquecido seu óculos no restaurante.
Forma correta: 
Ele havia esquecido seus óculos no restaurante.
Explicação: 
As palavras ligadas ao substantivo “óculos” devem ser flexionadas para o plural.

14. “Onde” / “Em que”

Erro: Participei da reunião onde foram tomadas várias decisões sobre os benefícios dos trabalhadores.
Forma correta: 
Participei da reunião em que (ou na qual) foram tomadas várias decisões sobre os benefícios dos trabalhadores.
Explicação: 
A palavra onde é um advérbio de lugar e, portanto, só deve ser usada referindo-se a lugar. Em outros sentidos, utilize a expressão em que ou no/a qual.

15. “É proibido” / “É proibida”

Erro: É proibido a entrada de pessoas não autorizadas.
Forma correta: 
É proibida a entrada de pessoas não autorizadas. ou É proibido entrada de pessoas não autorizadas.
Explicação: 
Deve-se fazer a concordância somente quando o substantivo estiver acompanhado, por exemplo, de artigo, pronome demonstrativo, pronome possessivo.

16. “A prazo” / “À prazo”

Erro: Os produtos podem ser comprados à vista ou à prazo.
Forma correta: 
Os produtos podem ser comprados à vista ou a prazo.
Explicação: 
Não existe crase antes de palavra masculina. Portanto, deve-se escrever: a prazo, a pé, a cavalo, a bordo.

17. “Vem” / “veem”

Erro: Os gerentes vem ao setor todos os dias e vêem o desempenho dos colaboradores.
Forma correta: Os gerentes vêm ao setor todos os dias e veem o desempenho dos colaboradores.
Explicação: Vem corresponde ao verbo VIR e recebe acento na 3ª pessoa do plural do presente do Indicativo. Veem corresponde ao verbo VER e, segundo o Novo Acordo Ortográfico, não recebe mais acento na 3ª pessoa do plural do presente do Indicativo.

18. “Anexo” / “Anexa” / “Em anexo”

Erro: Encaminho anexo os documentos solicitados.
Forma correta: Encaminho anexos os documentos solicitados.
Explicação: Anexo é adjetivo e deve concordar em gênero e número com o substantivo a que se refere. Ex: Segue anexa a carta de apresentação. Obs: Muitos gramáticos condenam a locução “em anexo”; portanto, dê preferência à forma sem a preposição.

19. “Eminente” / “Iminente”

Erro: Pedro é uma figura iminente na empresa.
Forma correta: Pedro é uma figura eminente na empresa.
Explicação: Eminente quer dizer notável. Iminente significa prestes a acontecer.

20. “Seção” / “Sessão” / Cessão

Erro: A seção dos direitos autorais desta obra criou polêmica.
Forma correta: A cessão dos direitos autorais desta obra criou polêmica.
Explicação: Seção significa divisão de repartições públicas, parte de um todo, departamento. Sessão significa espaço de tempo de uma reunião deliberativa ou de um espetáculo. Cessão refere-se ao ato de ceder.

21. “Aspirar” / “Aspirar a”

Erro: Ele aspira o cargo de gerente nesta empresa.
Forma correta: Ele aspira ao cargo de gerente nesta empresa.
Explicação:
 O verbo aspirar no sentido de sorver não admite preposição em sua regência. Aspirar, no sentido de almejar, exige a preposição a.

22. “Online” ou “on-line”

Erro: Haverá um treinamento online para os colaboradores.
Forma correta: Haverá um treinamento on-line para os colaboradores.
Explicação: O “VOLP” – Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa – registra “on-line” com hífen.

23. “Curriculum” / Curriculo”

Erro: Os candidatos deverão entregar o curriculo no RH.
Forma correta: Os candidatos deverão entregar o curriculum (ou currículo) no RH.
Explicação: Curriculum vitae é uma expressão latina, mas já foi aportuguesada: currículo. Ambas formas estão corretas: curriculum vitae ou currículo (com acento).

24. “Porque” / “Por que”

Erro: Ninguém soube porque o diretor cancelou a reunião.
Forma correta: Ninguém soube por que o diretor cancelou a reunião.
Explicação: Porque é conjunção e tem a função de unir duas orações coordenadas. Por que é usado em frases interrogativas e, também, aparece nos casos em que puder ser substituído por “pelo qual” ou “por qual razão”.

25. “Este” / “Esse” / “Aquele”

Erro: Na reunião, serão discutidos esses itens a seguir:
Forma correta: Na reunião, serão discutidos estes itens a seguir:
Explicação: Observe a regra: “Estes itens.” (Você ainda irá citar); “Esses itens.” (Você já citou).

26. “Exceção” / “Excessão”

Erro: Para toda regra, há uma excessão.
Forma correta: Para toda regra, há uma exceção.
Explicação: O correto é exceção. Cuidado para não confundir com excesso.

27. “10 a 20 de março” / “10 à 20 de março”

Erro: O curso será de 10 à 20 de março.
Forma correta: O curso será de 10 a 20 de março.
Explicação: Observe que não há artigo combinado com a preposição de; portanto, também não haverá artigo no passo seguinte, estando correto “de tal dia a tal dia”, sem crase.

28. Crase na indicação de páginas

Erro: Os advogados fizeram a leitura da página 5 a 15 do acordo trabalhista.
Forma correta: Os advogados fizeram a leitura da página 5 à 15 do acordo trabalhista.
Explicação: A palavra “página” está implícita após o “à”, o que justifica o acento grave, que indica que há crase (fusão de “a” preposição + “a” artigo feminino.

29. “1,5 milhão” / “1,5 milhões”

Erro: Em 2016, foram gastos no país 1,5 milhões de cartuchos de impressora.
Forma correta: Em 2016, foram gastos no país 1,5 milhão de cartuchos de impressora.
Explicação: A unidade “milhão” só é flexionada para o plural a partir do segundo milhão, ou seja, 2 milhões. Portanto, deve-se observar o número que antecede a vírgula e lembrar que numerais como “milhão”, “bilhão” e “trilhão” devem concordar com esse número.

30. “A todos” / “À todos”

Erro: Bom dia à todos.
Forma correta: Bom dia a todos.
Explicação: Não há crase antes de pronomes indefinidos (muitos, poucos, nenhuma, todos, pouca, alguma).

31. “A partir” / “À partir”

Erro: À partir da próxima semana, não será permitida a entrada sem o crachá de identificação.
Forma correta: A partir da próxima semana, não será permitida a entrada sem o crachá de identificação.
Explicação: Não há crase antes de verbo.

32. “Obrigado” / “Obrigada”

Erro: Obrigado pela ajuda – disse Clara.
Forma correta: Obrigada pela ajuda – disse Clara.
Explicação: “Obrigado” é variável e concorda com a pessoa que fala. A mulher diz “obrigada”. O homem, “obrigado”.

33. “Pagou o engenheiro” / “Pagou ao engenheiro”

Erro: Ao término da obra, a empresa pagou o engenheiro.
Forma correta: 
Ao término da obra, a empresa pagou ao engenheiro.
Explicação: 
O verbo “pagar” exige dois complementos – um deles acompanhado de preposição (pessoa) e o outro sem preposição (coisa). Assim: Paguei (o serviço) ao engenheiro.

34. “Houve” / “houveram”

Erro: Houveram dois problemas.
Forma correta: 
Houve dois problemas.
Explicação: 
O verbo “haver” no sentido de existir não tem sujeito, por isso fica sempre na terceira pessoa do singular. “Há dez problemas”, “houve dez problemas”. Vale a mesma regra quando os verbos “haver” e “fazer” indicam tempo: “Faz dois anos que nos encontramos”.

35. “Deve haver” / “Devem haver”

Erro: Devem haver muitas pessoas naquele auditório.
Forma correta: Deve haver muitas pessoas naquele auditório.
Explicação: O verbo haver, no sentido de existir, é impessoal, ou seja, só é usado no singular. Quando acompanhado de um verbo auxiliar, no caso, “deve”, este também se torna impessoal.

36. “Em baixo” / “Embaixo”

Erro: O documento caiu em baixo do móvel.
Forma correta: O documento caiu embaixo do móvel.
Explicação: Embaixo é advérbio de lugar. Em baixo é adjetivo. (Ex: Falavam em baixo tom.)

37. “Voo” / “Vôo”

Erro: Aquelas pessoas quase perderam o vôo.
Forma correta: Aquelas pessoas quase perderam o voo.
Explicação: O Acordo Ortográfico eliminou o acento circunflexo no primeiro “o” do hiato final “oo”. Assim: voo, zoo, perdoo, abençoo etc.

38. “Estender” / “Extender”

Erro: A reunião se extendeu além do tempo previsto.
Forma correta: A reunião se estendeu além do tempo previsto.
Explicação: O correto é estender, que significa prolongar, alongar, alargar. Extender não existe.

39. “Há dois anos” / “Há dois anos atrás”

Erro: Há dois anos atrás, o contrato foi assinado.
Forma correta: Há dois anos, o contrato foi assinado.
Explicação: É redundante dizer “Há dois anos atrás”, pois o “Há” já dá ideia de tempo decorrido.

40. “Bastante” / “Bastantes”

Erro: Há bastante motivos para a demissão daquele colaborador.
Forma correta: Há bastantes motivos para a demissão daquele colaborador.
Explicação: Bastante/Bastantes é pronome indefinido e deve concordar com o substantivo a que se refere. Na dúvida, faça a substituição por “muito/muitos”. Também pode ser advérbio, mas, nesse caso, permanecerá invariável.

41. “Zero hora” / “Zero horas”

Erro: A decisão entra em vigor a partir das zero horas de amanhã.
Forma correta: A decisão entra em vigor a partir da zero hora de amanhã.
Explicação: O substantivo “hora” concorda com o numeral “zero”.

42. “Horas extra” / “Horas extras”

Erro: O colaborador precisou fazer muitas horas extra.
Forma correta: O colaborador precisou fazer muitas horas extras.
Explicação: “Extra” é um adjetivo, portanto deve concordar com o substantivo a que se refere.

43. “Vir” / “Ver”

Erro: Quando você ver seu extrato, identificará o estorno do valor.
Forma correta: Quando você vir seu extrato, identificará o estorno do valor.
Explicação: Vir é a flexão do verbo VER na 3ª pessoa do singular do Futuro do Subjuntivo.

44. “Interviu” / “Interveio”

Erro: A diretora interviu na decisão.
Forma correta: A diretora interveio na decisão.
Explicação: Interveio é a flexão do verbo intervir na 3ª pessoa do singular do Pretérito Perfeito do Indicativo. Significa interferir, participar, interceder.

45. “Através” / “por meio”

Erro: O cliente soube da alteração através do e-mail.
Forma correta: O cliente soube da alteração por meio do e-mail.
Explicação: Por meio significa “por intermédio”. A locução através de expressa a ideia de atravessar. (Ex: Olhou através da janela.)

46. “Clipe” / “clipes”

Erro: Ele fixou os papéis com um clips.
Forma correta: Ele fixou os papéis com um clipe.
Explicação: Clipe é aquela peça de metal usada para prender folhas. Patenteado na Alemanha, é conhecido como clip (pl. clips) nos países de língua inglesa. No Brasil, deve ser chamado de clipe (pl. clipes).

47. “Responder o” / “Responde ao”

Erro: O gerente não respondeu o meu e-mail.
Forma correta: O gerente não respondeu ao meu e-mail.
Explicação: A regência do verbo responder, no sentido de dar a resposta a alguém, exige a preposição “a”.

48. Vírgula entre sujeito e verbo

Erro: O gerente de marketing, copiou as informações.
Forma correta: O gerente de marketing copiou as informações.
Explicação: A vírgula é um sinal de pontuação que marca uma pausa de curta duração. É usada para separar termos dentro de uma oração ou orações dentro de um período, mas nunca deve ser colocada entre o sujeito e o verbo.

49. “No aguardo de” / “Ao aguardo de”

Erro: Ficarei no aguardo de providências.
Forma correta: Ficarei ao aguardo de providências.
Explicação: Ficamos sempre ao aguardo ou à espera de, nunca no aguardo de ninguém ou na espera de alguma coisa.

50. “Mas” / “Mais”

Erro: Ele é dedicado, mais costuma se atrasar.
Forma correta: Ele é dedicado, mas costuma se atrasar.
Explicação: Mas é conjunção adversativa e significa “porém”. Mais é advérbio de intensidade.

51. “Obrigado” / “Obrigados”

Erro: Muito obrigado! – disseram os homens.
Forma correta: Muito obrigados! – disseram os homens.
Explicação: “Obrigado” deve vir no plural caso se refira a mais de uma pessoa.

52. “Imprimido” / “Impresso”

Erro: Ele havia impresso todos os documentos naquele dia.
Forma correta: 
Ele havia imprimido todos os documentos naquele dia.
Explicação: 
O verbo imprimir tem duas formas de particípio – impresso e imprimido. Com os verbos ter e haver, deve-se usar a forma “imprimido”, e com os verbos ser e estar, “impresso”. Ex: Os documentos foram impressos naquela máquina.

53. “Precisa-se” / “Precisam-se”

Erro: Precisam-se de motoristas.
Forma correta: 
Precisa-se de motoristas.
Explicação: 
Nesse caso, a partícula “se” tem a função de tornar o sujeito indeterminado. Quando isso ocorre, o verbo permanece no singular.

54. “Há pouco” / “A pouco”

Erro: Os gestores chegarão daqui há pouco.
Forma correta: Os gestores chegarão daqui a pouco.
Explicação: “Há pouco” indica tempo decorrido. “A pouco” dá ideia de uma ação futura.

55. “Chego” / “Chegado”

Erro: A secretária havia chego atrasada na reunião.
Forma correta: 
A secretária havia chegado atrasada na reunião.
Explicação: 
O particípio do verbo chegar é chegado. Chego é 1ª pessoa do Presente do Indicativo.(Ex: Eu chego na hora do almoço).

56. “Entre eu e você” / “Entre mim e você”

Erro: Entre eu e você, há uma sintonia de ideias.
Forma correta: Entre mim e você, há uma sintonia de ideias.
Explicação: Eu é pronome pessoal do caso reto e só pode ser usado na função de sujeito, ou seja, antes de um verbo no infinitivo, como no caso: “Não há nada entre eu pagar e você usufruir também.”

57. “Senão” / “Se não”

Erro: É melhor ele comparecer, se não irá perder a vaga.
Forma correta: É melhor ele comparecer, senão irá perder a vaga.
Explicação: Senão significa “caso contrário”. Se não é usado no sentido de condição. (Ex: Se não chover, poderemos sair.)

58. “Deu” / “Deram” tantas horas

Erro: Deu dez da noite e ele ainda não chegou.
Forma correta: Deram dez da noite e ele ainda não chegou.
Explicação: Os verbos dar, bater e soar concordam com as horas. Porém, se houver sujeito, deve-se fazer a concordância: “O sino bateu dez horas.”

59. “Chove” / “Chovem”

Erro: Chove reclamações quando há aumento no preço do combustível.
Forma correta: Chovem reclamações quando há aumento no preço do combustível.
Explicação: Quando indica um fenômeno natural, o verbo chover é impessoal e fica sempre no singular. No sentido figurado, faz-se a flexão verbal.

60. “Chegar em” / “Chegar a”

Erro: Os estagiários chegaram atrasados na reunião.
Forma correta: Os estagiários chegaram atrasados à reunião.
Explicação: Verbos de movimento exigem a preposição “a”.